Revogar votos de vidas passadas

Um dos serviços prestados pela Terapia Multidimensional, por vezes, designada de TM ou TMD como forma de abreviatura, é a limpeza de votos realizados nesta vida ou vidas passadas.Alguns dos votos são o voto de fidelidade eterna como acontece na celebração de matrimónios no âmbito de determinadas religiões em que os noivos trocam juramentos de amor e fidelidade eternas dado que nessas religiões acreditam que só se vive uma vez e que, após casados na vida na Terra, continuarão casados como desencarnados no umbral e, mais tarde, nas dimensões superiores. Acontece, por vezes, que isso interfere no livre arbítrio das Almas quando decidem ter novas encarnações e nessas novas encarnações necessitam de interagir ao nível amoroso com outros espíritos que não aquele com quem casou numa ou várias de suas muitas vidas. Para as Almas serem verdadeiramente livres, estes votos podem ser rescindidos durante uma sessão de Terapia Multidimensional.

O voto de castidade é igualmente limitador no exercício de livre arbítrio dado que quando foi contraído fazia sentido num determinado contexto religioso, cultural ou espiritual no passado dado que a pessoa pode ter pertencido a uma ordem religiosa, filosófica ou espiritual que o impunha, pode ter sido pela exigência de uma dada profissão ou no âmbito de um movimento religioso ou espiritual a que a pessoa aderíu. Se esse voto não for rescindido, podem acontecer problemas de frigidez na mulher ou impotência no homem, dado que em novas encarnações podem não conseguir ter uma vida sexual saudavelmente livre de limitações com o seu parceiro ou parceira devido à existência de padrões de programação a serem executados a nível inconsciente da mente, derivados de vidas passadas. Uma consulta de regressão de vidas passadas pode levantar um pouco o véu e trazer mais pormenores a essa questão num caso específico. No entanto, tal não é necessário, para que os votos sejam limpos uma vez que nesta vida já não fazem sentido dado que a Alma normalmente procura um novo tipo de experiência nesta encarnação.

Outro dos votos que pode comprometer a liberdade de escolha de um novo caminho para a Alma é o voto de celibato. Certas religiões, seitas e ordens filosóficas impõem a todos ou apenas a alguns membros o celibato. Normalmente, este costume está ligado à necessidade de um membro que queira realmente aspirar a cargos superiores numa organização, sendo por isso que se deverá dedicar por completo à sua aspiração sendo, portanto, incompatível com a comunhão com outra pessoa ou uma vida de família.

Por exemplo, é normal na tradição do Hinduísmo, que um verdadeiro buscador da Iluminação deseje seguir um caminho mais asceta e tornar-se um brahmacharya ou uma brahmacharini. Os monges budistas seguem o mesmo caminho. No entanto, a decisão dessas pessoas está firmemente alicerçada na vontade de evolução espiritual a par do programa de encarnação específico que a Alma deles escolheu nessa vida.

Quando a Alma vem experimentar uma vida que implique a existência de relacionamentos afectivos após uma vida ou várias vidas de celibato, poderá experimentar algumas dificuldades no relacionamento com outras pessoas a nível afectivo. Essa pessoa poderá, por exemplo, dizer numa consulta de Terapia Multidimensional que tem muitos amigos e amigas e uma vida social intensa mas que mesmo assim não consegue apaixonar-se por ninguém ou sentir atração. Poderá também sentir a um nível inconsciente um enorme medo de iniciar um relacionamento dado que sente que poderá estar a cometer um grande erro embora, ao nível consciente, não consiga encontrar uma razão válida para que tal acção seja considerado um erro.

Para além da limpeza dos votos de castidade, os Seres de Luz ocupam-se também da limpeza de votos de pobreza. Em algumas ordens de monges e freiras, é ordenado aos seus membros que façam o voto de pobreza. Esses membros não deverão possuir coisa material alguma excepto a minimamente indispensável à sua saúde e vida. Tal entende-se como o objetivo de se libertar do apego às coisas passageiras da Terra e se dedicar de corpo e alma à busca da sua divindade.

Outros dos votos comuns assumidos em vidas passadas é o voto de obediência. Este voto é comum quando o cliente de Terapia Multidimensional pertenceu a ordens religiosas e militares. Este voto poderá criar restrições na forma como a pessoa se sente autónoma e capaz de tomar as suas próprias decisões. Poderá gerar um complexo de inferioridade que implicará a rejeição contínua de cargos de autoridade impedindo a progressão profissional, por exemplo.

Por último, temos o voto de solidão. A pessoa pode ter, numa vida passada, assumido este voto por vários motivos. Um deles pode ter sido a imposição por parte de uma determinada ordem religiosa ou espiritual. Outro, pode ter sido por motivações políticas relacionadas com exílios. Ou ainda, pode ter sido, por determinação própria como voto de protesto contra um determinado grupo, família ou comunidade como forma de punição. Quando a pessoa assumíu este voto numa vida passada, na vida actual pode ter de lidar com o isolamento social e as nefastas consequências para a vida profissional e amorosa que daí decorre.