Desejos e vontades

A Leitura da Aura surgíu, pessoalmente, para mim como um desejo ou uma vontade de momento em 2010.
Assim, também para mim, tornar-me terapeuta de Leitura da Aura não foi um dia, mais do que um desejo inicial, algo que se desvelou em vocação.

Demasiadas vezes, há desejos que não vemos serem cumpridos por diversas razões das quais, por vezes, não temos consciência. É aqui que entra a leitura da aura. A leitura da aura vem levantar o véu sobre os desejos reprimidos ou não manifestados do nosso eu. Muitas vezes, esses desejos têm anos e, em alguns casos mais graves, décadas de repressão, na maior parte das vezes, auto-infligidos por um ego movido por sentimentos de não aceitação de si próprio ou de não merecimento cuja acção nefasta é baseada em uma interpretação errónea da realidade e dos outros.

Enquanto a pessoa não tomar consciência sobre as razões que estão a motivar o seu comportamento e as suas atitudes sabotadoras do seu próprio bem-estar, não obstante a noção que por vezes tem de que o seu comportamento não está a contribuir positivamente para a consecução dos seus desejos, ver-se-á incapaz de parar de se prejudicar a si própria e/ou aos que lhe são queridos.

Como afirma Deepak Chopra, um grande mestre espiritual e prolífico autor de diversos livros, no livro A Sabedoria do Mago:

Os magos nunca condenam o desejo pois foi pelo facto de terem seguido os seus desejos que se tornaram magos.

Cada desejo é gerado por um desejo passado. A cadeia do desejo é infinita; é, em boa verdade, a própria vida.

A vida é constituída de desejos desde que o nosso ego nasce e se desenvolve até que “morremos”. Desejo. Um após o outro é satisfeito na voraz necessidade de evolução espiritual acobertada por necessidades externas. Quando satisfazemos um, dá-se o processo da psicoadaptação, isto é, a impermanência do sentimento de satisfação do desejo após a sua realização. Um outro desejo nasce para substituir o anterior de forma completamente natural e involuntária, independente da nossa vontade consciente.

Por vezes, os desejos são “plantados” pelo exterior (ideias da sociedade, publicidade, correntes culturais, etc), outras pelo interior (o espírito da pessoa). A Leitura da Aura permite distinguir aqueles que são realmente importantes (inspirados pelo espírito da pessoa) daqueles mais supérfluos que nada têm a ver com a essência da pessoa.