Arquivo mensal: Outubro 2013

Cura Reconectiva – Regresso ao equilíbrio

A Cura Reconectiva® tem como objectivo a reconexão com o Universo e com a essência dentro de cada um. É como efeito colateral que surge a cura de determinado problema ao nível físico, emocional, mental e espiritual. Esta modalidade de cura surge a partir de novas frequências de cura de luz e informação que até há alguns anos não estavam disponíveis na Terra. Tal facto pode ser comprovado experiencialmente com as famosas curas milagrosas que nos têm chegado pelos mais variados meios de comunicação social, quer em laboratórios de uma forma mais científica. A Cura Reconectiva® foi descoberta pelo Dr. Eric Pearl, médico quiroprático, enquanto ministrava consultas de quiroprática quando se apercebeu de curas absolutamente fora do vulgar e muito para além daquilo que ele fazia tais como cura de paralisia cerebral, doenças relacionadas com SIDA, cura de tumores entre outras. Os seus pacientes relatavam também contactos com Anjos bem como alguns diziam sentir presenças quando ainda no seu consultório e, mais tarde, já em casa.

Cura Reconectiva® e Reiki

A Cura Reconectiva® é uma modalidade de cura completa e abrangente em relação a diversas outras modalidades de cura tais como o Reiki. O Reiki consiste no uso de um subconjuntos de frequências de cura ao passo que a Cura Reconectiva® consiste no conjunto completo. Se já experimentou algo fantástico com o Reiki, saiba que aquilo que recebeu foi apenas uma parte da energia. Para melhor percebermos a relação, poderá dizer que o Reiki e outras formas de cura estão contidas na Cura Reconectiva®. É como se o Reiki fossem as letras a, d, h, l e u e a Cura Reconectiva® fosse o alfabeto inteiro. Com o Reiki já se fazem curas bastante interessantes. No entanto, com a Cura Reconectiva® os resultados são mais rápidos e surpreendentes.

Simplicidade da Cura Reconectiva®

A Cura Reconectiva® é conhecida pela sua simplicidade e poder. Dispensa rituais de proteção, invocação de entidades, tirar jóias, relógios, objectos de metal, limpeza energética do espaço antes da terapia (no entanto, convém sempre ter o espaço limpo) ou sequer acreditar na terapia ou acreditar seja no que for, sendo por isso, também adequada a cépticos.

Cura Reconectiva® com Paulo Nogueira

Cura Reconectiva®

Em que problemas pode ser usada a Cura Reconectiva®?

A Cura Reconectiva® pode ser usada em todo o tipo de problemas físicos (tumores, dores musculares, dores relacionadas com a menstruação), problemas emocionais (insegurança, depressão, baixa auto-estima), mentais (negativismo, perfeccionismo, obsessividade), espirituais (equilíbrio dos corpos energéticos, chakras). Embora a Cura Reconectiva® promova a cura a diversos níveis, essa cura acontece não como um fim em si mesma mas como produto do retorno ao equilíbrio e à harmonia. Quando estamos em harmonia não temos doenças, sentimo-nos bem, em paz, felizes. Esse é o objectivo da Cura Reconectiva®. Quando vamos ao médico, ele não nos pergunta como nos sentimos interiormente. Apenas nos pergunta como nos sentimos no que concerne ao nosso corpo físico para com base nos sintomas determinar os medicamentos que melhor se adequam. No entanto, se o problema criado no coração tem a ver com uma traição que ainda não foi devidamente aceite e com a qual a pessoa pode não estar a conseguir lidar, por exemplo, uma mulher que se dirija ao seu cardiologista verá apenas o clínico receitar análises e medicamentos que poderão ajudar na sua condição física. Mas como a paciente não toma consciência do que é necessário fazer para lidar com a situação, ainda que o problema físico esteja temporariamente resolvido, ele vai-se manifestar novamente porque não foi resolvido num nível acima – no campo energético. Pode eventualmente, essa pessoa necessitar de um transplante de um órgão e se essa mesma pessoa tiver já uma certa idade, poderá dar-se o caso de que não tenha tempo de vida para estragar novamente o novo órgão. Isso não quer dizer que o problema foi resolvido. A pessoa continua infeliz mas a diferença é que tem um coração físico novo, pronto para o danificar novamente como fez com o primeiro, caso não tenha tomado consciência das mudanças que necessita realizar em si que poderão passar por perdoar alguém, aceitar um facto, etc.

Cura Reconectiva® validada pela Ciência

Diversos estudos científicos foram e estão a ser conduzidos para tentar entender os espectaculares efeitos desta modalidade de cura, nomeadamente, um estudo conduzido pelo Dr. William Tiller, PhD, professor emérito da Universidade de Stanford, explica que as frequências da Cura Reconectiva® vão muito além de terapias energéticas mais tradicionais tais como Reiki, Qi Gong e Jin Shin, usando um espectro mais alargado de luz, energia e informação que não estava disponível até agora.

Uma das mais interessantes experiências com a Cura Reconectiva® foi realizada na Universidade do Arizona onde um fragmento de DNA foi intencionalmente danificado pela exposição a altas temperaturas sendo de sequida exposto a diversas terapias energéticas, nomeadamente, Reiki, Qi Gong e Jin Shin sendo que apenas a Cura Reconectiva® foi capaz de reparar o fragmento de DNA.


NOTA LEGAL: Eric Pearl, The Reconnection, LLC, ® e qualquer pessoa associada a este trabalho, incluindo, mas não se limitando à The Reconnection® e/ou Reconnective Healing® não fazem nenhuma reivindicação, promessas, representações ou garantias e não oferecem nem o diagnóstico nem o tratamento de desafios de saúde específicos. Você é o único responsável por se assegurar que dá continuidade ao seu próprio tratamento e cuidados médicos.
A Reconexão® e a Cura Reconectiva® são marcas registadas da The Reconnection, LLC.

Cura Reconectiva

A Cura Reconectiva® embora não proceda do terapeuta, flui através do terapeuta. Tal já acontece com o Reiki embora a Cura Reconectiva® seja um patamar completamente novo e avançado de cura. A energia que flui através do terapeuta durante uma sessão de Cura Reconectiva® não é criada nem dirigida pelo terapeuta mas apenas canalizada para a pessoa servindo o terapeuta como elo de ligação entre Deus/Universo/Energia que é Quem, no fundo, dirige a cura.

A Cura Reconectiva® está totalmente para lá da “técnica” de curas New Age como o Reiki e outras. Imensas curas “milagrosas” têm sido relatadas a respeito de curas de doenças que fazem os médicos actuais encher-se de incredulidade, admiração, espanto e respeito enquanto observam, sem entender, os resultados nos exames de ECGs, radiografias, tomografias, etc. Embora pessoalmente tenha tido muito bons resultados ao aplicar Reiki em pacientes com nódulos na mama e nos ovários, a Cura Reconectiva® eleva a rapidez da cura dado que são frequências de Quinta Dimensão onde a cura por si só acontece rapidamente. O que demora é a aceitação da cura por parte do paciente. Por essa razão, embora a energia cure, se o paciente não aceitar a um nível consciente ou inconsciente a cura, não há nada que possa ser feito (pelo menos, em termos de trabalho energético) a não ser trabalho psicoterapêutico para identificar a razão pela qual a pessoa está a padecer de determinada enfermidade e porque razão está a rejeitar a um nível inconsciente a cura. Aí a Regressão com Reiki, a Terapia de Leitura de Aura e a Cirurgia Psíquica podem ser ferramentas de grande mais-valia uma vez que permitem obter as explicações e a tomada de consciência necessárias ao paciente para que ele finalmente autorize através da Lei do Livre Arbítrio a actuação da energia e sua recuperação.

Tal deve-se ao facto de determinadas doenças terem a ver com lições que o espírito da pessoa  ou alguém ligado a ela necessita aprender através da doença. Quando a pessoa integra a lição, tudo, automaticamente, volta a fluir para a harmonia que é o estado normal de um ser humano. O que a Cura Reconectiva® faz é reconectar a pessoa com a sua essência sendo que nesta modalidade de cura, nada é acrescentado. Pelo contrário, sabendo que o estado natural do ser humano é a harmonia, consiste em retirar algo que está a mais. Não obstante os constantes e meritosos progressos da Medicina Tradicional os quais nunca devem ser postos de parte, antes pelo contrário, devem ser seguidos com todo o interesse e expectativa, a Cura Reconectiva® foca-se no indivíduo como um todo, entendendo-o como ligado a todos os outros, permitindo não apenas o restabelecimento da harmonia em termos físicos, emocionais e mentais (usa-se para tratar depressão) como também de eventos na vida da pessoa que necessitem ser resolvidos.

O objectivo da Cura Reconectiva® vai muito além de tratar de uma doença física. De nada adianta, a título de exemplo, enviar uma pessoa que se curou de um determinado cancro para casa (dar-lhe alta médica num hospital) se essa pessoa for, por exemplo, uma mãe que desenvolveu essa mesma doença como forma de chamar a atenção de um familiar, por exemplo da filha, e como reflexo de não aceitação da homosexualidade dessa mesma filha que, entretanto, a deixou dois anos antes da doença da mãe se ter desenvolvido para ir viver com uma companheira uma vez que já não suportava os seus incessantes e críticos conselhos de que deveria arranjar um companheiro masculino e casar-se.


NOTA LEGAL: Eric Pearl, The Reconnection, LLC, ® e qualquer pessoa associada a este trabalho, incluindo, mas não se limitando à The Reconnection® e/ou Reconnective Healing® não fazem nenhuma reivindicação, promessas, representações ou garantias e não oferecem nem o diagnóstico nem o tratamento de desafios de saúde específicos. Você é o único responsável por se assegurar que dá continuidade ao seu próprio tratamento e cuidados médicos.
A Reconexão® e a Cura Reconectiva® são marcas registadas da The Reconnection, LLC.

Regressão com Reiki – Cura dos medos

A Regressão com Reiki é uma terapia bastante eficaz na tomada de consciência da raíz dos medos e inseguranças na vida actual que podem estar localizados na infância, vida intra-uterina ou vidas passadas. A decisão de fazer uma regressão para aceder à raíz de um medo, de o compreender e instaurar uma nova forma de comportamento é geralmente feita quando o paciente não consegue ter uma vida normal, livre de limitações, isto é, quando a sua vida social e profissional começa a ser afectada de uma forma negativa. O acesso aos traumas do passado permitem a resolução de numerosos medos tais como:

  • medo de lugares fechados
  • medo de alturas
  • medo de multidões
  • medo de água
  • medo de um animal

Fobias

  • abissofobia (medo de abismos ou precipícios)
  • ablepsifobia (medo de perder um dos sentidos, por exemplo, ficar cego)
  • ablutofobia (medo de tomar banho)
  • acarofobia (medo de ácaros)
  • acerofobia (medo de substâncias ácidas)
  • escatofobia (medo do escuro). Em alguns casos esta fobia surge decorrente de brincadeiras de infância onde a criança foi fechada num local escuro contra a sua vontade;
  • acrofobia (medo de lugares altos)
  • acusticofobia (medo de sons de elevado  volume tais como trovoadas, demolições de edifícios, explosão de bombas, fogos de artifício, etc)
  • aeroacrofobia (medo de ficar em lugares altos ao ar livre)
  • aerodromofobia (medo de viajar de avião)
  • aeronausifobia (medo de vomitar durante uma viagem de avião)
  • aerofobia (medo de correntes de ar)
  • afefobia (medo de ser tocado de forma sexual ou não. Este medo encerra, por vezes, abusos sexuais na infância ou numa vida passada e tende a provocar bastantes transtornos na vida sexual, afectiva ou em situações sociais)
  • afobia (medo de não fobias. Nesta situação, o indivíduo teme não temer situações que o próprio considera que o medo seria uma resposta necessária tornando-o nervoso)
  • agorafobia (medo de não conseguir sair do meio de uma multidão em caso de necessidade. O indivíduo portador desta fobia sobre por antecipação de uma situação em que há a necessidade de sair do meio da multidão e não conseguir. O agorafóbico pode temer estar em locais como estádios de futebol, centros comerciais, concertos, cinema entre outros locais de diversão o que pode comprometer bastante a sua vida social)
  • agrafobia (medo de ser abusado sexualmente)
  • belonofobia (medo de agulhas e objectos pontiaguados)
  • ailurofobia (medo de gatos bastando a sua presença ainda que distante para o indivíduo se sentir desconfortável)