Arquivo mensal: Janeiro 2013

Desejos e vontades

A Leitura da Aura surgíu, pessoalmente, para mim como um desejo ou uma vontade de momento em 2010.
Assim, também para mim, tornar-me terapeuta de Leitura da Aura não foi um dia, mais do que um desejo inicial, algo que se desvelou em vocação.

Demasiadas vezes, há desejos que não vemos serem cumpridos por diversas razões das quais, por vezes, não temos consciência. É aqui que entra a leitura da aura. A leitura da aura vem levantar o véu sobre os desejos reprimidos ou não manifestados do nosso eu. Muitas vezes, esses desejos têm anos e, em alguns casos mais graves, décadas de repressão, na maior parte das vezes, auto-infligidos por um ego movido por sentimentos de não aceitação de si próprio ou de não merecimento cuja acção nefasta é baseada em uma interpretação errónea da realidade e dos outros.

Enquanto a pessoa não tomar consciência sobre as razões que estão a motivar o seu comportamento e as suas atitudes sabotadoras do seu próprio bem-estar, não obstante a noção que por vezes tem de que o seu comportamento não está a contribuir positivamente para a consecução dos seus desejos, ver-se-á incapaz de parar de se prejudicar a si própria e/ou aos que lhe são queridos.

Como afirma Deepak Chopra, um grande mestre espiritual e prolífico autor de diversos livros, no livro A Sabedoria do Mago:

Os magos nunca condenam o desejo pois foi pelo facto de terem seguido os seus desejos que se tornaram magos.

Cada desejo é gerado por um desejo passado. A cadeia do desejo é infinita; é, em boa verdade, a própria vida.

A vida é constituída de desejos desde que o nosso ego nasce e se desenvolve até que “morremos”. Desejo. Um após o outro é satisfeito na voraz necessidade de evolução espiritual acobertada por necessidades externas. Quando satisfazemos um, dá-se o processo da psicoadaptação, isto é, a impermanência do sentimento de satisfação do desejo após a sua realização. Um outro desejo nasce para substituir o anterior de forma completamente natural e involuntária, independente da nossa vontade consciente.

Por vezes, os desejos são “plantados” pelo exterior (ideias da sociedade, publicidade, correntes culturais, etc), outras pelo interior (o espírito da pessoa). A Leitura da Aura permite distinguir aqueles que são realmente importantes (inspirados pelo espírito da pessoa) daqueles mais supérfluos que nada têm a ver com a essência da pessoa.

Quando fazer a Leitura da Aura

Uma leitura da aura pode ser feita quando:

  • a pessoa se sente sem motivação para fazer algo em particular, para seguir um determinado caminho na vida com alegria e entusiasmo
  • não descobríu ainda o seu verdadeiro propósito na vida
  • sente que tem um talento específico para algo mas está a seguir um caminho completamente diferente ou um que a pessoa considera ser mais socialmente aceitável ou mais seguro
  • sente que não está no emprego adequado, aquele que a preenche, que a deixa realmente satisfeita e que a realiza e, ao invés disso, está num emprego que lhe garante mais segurança (geralmente em termos financeiros) ou mais socialmente aceitável (por exemplo, uma administrativa que quer ser DJ aos 45 anos ou que quer dedicar-se à tatuagem)
  • está a passar por um período de confusão em que ou tem vários caminhos e cada um lhe retira algo de que a pessoa considera necessitar ou sente que não há um caminho possível para nenhum lado
  • um ou vários medos estão a impedir a pessoa de se expressar, de projectar para o exterior a sua verdadeira personalidade quando em presença de factores externos (por exemplo, medo do julgamento de outras pessoas) ou factores internos (por exemplo, condicionamento social na infância ou adolescência)
  • não consegue realizar os seus desejos e vontades devido a um condicionamento interno o que faz a pessoa estagnar na vida
  • a pessoa se sente perdida entre os vários papéis que desempenha ao longo do dia (papel de filho, pai, mãe, empregado, desportista, espiritual, companheiro/a, patrão) e bastante distante da sua essência

Dons e Potencialidades

No que concerne à identificação dos dons e das potencialidades do consulente, a Terapia de Leitura de Aura apresenta-se com um grande potencial de cura.

Identificar os dons e as potencialidades de cada um – neste aspecto devo acrescentar que não existem dons no sentido de um espírito em particular ser presenteado por Deus, pelo Universo ou qualquer divindade, com determinadas características que só um grupo selecto de espíritos terá. Não. Os dons referem-se tão somente a características desenvolvidas durante o trabalho realizado ao longo da caminhada da alma, quer em termos de progresso intelectual, quer em termos de progresso moral. Os dons podem ser espirituais, técnicos, artísticos ou de outra ordem, frequentemente na qual, o espírito tenha estado envolvido durante bastantes encarnações ou com bastante devoção numa única. Assim se explicam os talentos precoces de algumas crianças em diversas áreas do saber, da arte, do desporto ou de natureza mais espiritual. Diz-se, geralmente, que a criança em questão revela um talento extraordinário para a música ou para a matemática e consegue aprender com uma velocidade extraordinária os conceitos de determinada área.

Na realidade, o seu espírito dedicou-se durante uma ou várias vidas antes a aprimorar-se nessa área e, quando reencarna, mais não faz do que aceder à intuição para obter os conhecimentos que já tinha adquirido previamente. No entanto, diversos factores condicionam o acesso à intuição o que leva a que muitas pessoas se encontrem “fora do caminho”, que não estejam em verdade consigo mesmos. Um dos factores que mais condiciona o acesso a esta faculdade inata do ser humano é o ego que por sua vez é sujeito ao condicionamento social por parte dos pais, dos amigos e da sociedade em geral e que muitas vezes leva a pessoa para um “abismo existencial” onde ela tem a nítida sensação de que não está a usar o seu pleno potencial e de que não se sente realizada.

A consciência da pessoa, em certos momentos do seu caminho, começa então a cobrar a atenção que não lhe foi dedicada através da intuição. Se a pessoa não for aberta ao caminho da meditação, da oração, de qualquer prática espiritual ou, mesmo que não praticando nenhuma das vertentes referidas, não seja aberta a fazer aquilo que sente, isto é, se se trata de uma pessoa fechada à intuição, muito baseada no ego e no exterior (os outros, a opinião dos outros, etc), muito baseada na mente, racional, focada em seguir um caminho cujas linhas lhe foram determinadas, não necessariamente obrigada mas sugestionada através de conselhos, opiniões, críticas e elogios de pais, amigos, professores e colegas num grupo ao longo de vários anos desde a infância, irá experimentar, mais cedo ou mais tarde, um vazio existencial, uma sensação de incompletude que poderá, em alguns casos, resvalar para a depressão ou para vícios de diversas ordens nos quais a pessoa, inconscientemente, vai procurar a satisfação no sentido de realização mais profunda de que se encontra privada. Escusado será dizer que jamais a irá encontrar procurando no caminho errado. Os vícios podem ser tão diversos como o álcool, as drogas, o vício do trabalho (neste, em particular, a pessoa procura de uma forma inconsciente na sua actividade actual ser bem sucedido, cumprir todos os prazos, ser “o melhor”, ser o mais eficiente, a satisfação que muitas vezes só alcançará deixando esse mesmo trabalho e partindo em busca de algo que é aquilo que ela se veio tornar).

O que a Terapia de Leitura de Aura promove é o reconhecimento das actividades para as quais a pessoa já se encontra espiritualmente licenciada e que são realmente aquilo que lhe dará a sensação de realização pessoal, a sensação de estar no caminho certo. A pessoa poderá até, eventualmente, ter mais de 65 anos ou considerar que se encontra numa idade em que a mudança já não faz sentido e que a tomada de consciência que deveria ter empreendido ao longo de uma vida inteira já não vai a tempo de fazer sentido.

Nunca é tarde para tomar o caminho certo cujo rumo foi desenhado no mapa de potencialidades pelo espírito antes de reencarnar. Como disse o grande médium Chico Xavier: “Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim”.

Registos akáshicos

O que são registos akáshicos?

Durante a consulta de leitura de aura, vão sendo visualizadas imagens através da terceira visão do terapeuta. O espírito da pessoa comunica com o do terapeuta através de várias formas mas a principal é através de imagens. Essa imagens correspondem aos registos akáshicos que serão consultados na leitura de aura.

Os registos akáshicos são a marca energética de cada pensamento, acção, emoção e experiência que alguma vez ocorreu no tempo e no espaço. Os registos akáshicos podem ser vistos como a informação de tudo o que alguma vez ocorreu, em todas as experiências, em todas as vidas, em todas as realidades e em todas as dimensões a todas as almas. Os registos akáshicos são um repositório holográfico etérico de informação do passado, presente e potencial futuro da consciência humana. A energia que constitui os registos akáshicos é a energia do Amor. O conhecimento contido nos registos akáshicos é impresso sobre uma substância subtil denominada de Akasha que descreve a energia do Amor que permeia e cria tudo no Universo.

O Akasha está disponível em todo o lado, a toda a hora. Todos os seres podem aceder à informação dos registos akáshicos em qualquer altura e de facto já o fazemos. Quando, de vez em quando, recebemos flashes de intuição e palpites certeiros que nem sabíamos como aprendemos aquilo no passado, são na realidade impressões aos registos akáshicos que fazemos. Por exemplo, ocorre quando temos o famoso “dejá vu”, quando nos parece que soubémos como executar determinada tarefa tendo no entanto a certeza que não tivémos qualquer contacto com ela antes e que a sua aprendizagem não é rápida ou fácil, quando vímos uma determinada pessoa e tivémos a sensação que já a conhecíamos antes… Esses casos são acessos aos nossos registos akáshicos que de vez em quando fazemos sem nem percebermos como o fizémos e, portanto, sem voltar a hipótese de replicar a experiência.

Uma leitura de aura permite transformar o que é algo espontâneo e que na maior parte das vezes dura centésimos de segundo em algo que dura uma sessão de hora e meia, de forma consciente e voluntária. O Terapeuta de Leitura de Aura é aquele que acede aos registos akáshicos do consulente mediante a autorização do seu espírito e aquilo que o seu espírito lhe permite saber.

Numa leitura de aura, mesmo que a pedido do consulente sobre uma determinada pergunta, o espírito pode decidir não dar a resposta para que seja visível pelo terapeuta… O espírito do consulente é quem decide e não o ego do consulente aquilo que pretende que a pessoa tome consciência. Uma Leitura de Aura não é orientada pelo Terapeuta de Leitura de Aura mas sim pelo espírito do consulente assumindo o primeiro, o papel apenas de facilitador, de intermediário entre o espírito do consulente e o consulente.

Cada ser no Universo está constantemente a aceder e a modificar os registos akáshicos. Cada pensamento que temos, cada emoção que sentimos, cada acção que executamos, fica armazenado nesses registos. É por isso que muitas vezes é possível aceder usando outras ferramentas tal como a hipnose e a regressão para aceder a essa informação. A Terapia de Leitura de Aura não é assim a única terapia que o permite! Existem diversas outras ferramentas que também o permitem tal como a Terapia de Vidas Passadas que usa a hipnose para fazer o paciente regressar à infância, à vida intra-uterina, ao estado anterior antes de reencarnar, chamado estado intermédio onde já morreu mas ainda não reencarnou ou até mesmo uma reencarnação anterior. Existe também a via do Xamanismo que dispõe de algumas técnicas e ferramentas para aceder a esses registos e compreender e integrar determinadas situações que nos estarão a causar dano enquanto não forem tomadas conscientes.

Os traumas são um bom exemplo. Por vezes, ocorrem situações traumáticas graves na vida de uma pessoa e a mente que está orientada para proteger o ser custe o que custar, poderá desenvolver amnésia parcial em relação a alguns factos ocorridos no passado. Esse mecanismo de defesa da mente é tão eficaz que a pessoa pode jurar com toda a verdade perante si própria que nunca passou antes por aquela situação. No entanto, essa situação, tornada inconsciente pela mente da pessoa numa resposta automática de sobrevivência de forma a que a pessoa possa continuar a sua vida normal, qual rio subterrâneo, vai minando a pessoa em diversas fases da sua vida e continuará até que a pessoa tome consciência. Se a pessoa não tomar consciência na encarnação actual, reencarnará e o problema persistirá na nova encarnação. A Leitura de Aura permite colocar um fim a este tipo de situações fazendo com que a pessoa tome consciência e possa seguir em frente com a sua vida, não numa atitude defensiva mas numa atitude de verdadeira liberdade, de perdão a si mesma e aos outros e com uma nova consciência do mundo, dos outros, de si mesma e de como tudo se organiza.

É porque somos todos criados e estamos conectados à energia do Amor que o nosso direito divino de nascimento inclui termos acesso à divina sabedoria e conhecimento contidos nos registos akáshicos.

Os registos akáshicos contêm todo o passado, presente e possibilidades futuras através das vibrações da compaixão e da alegria. Eles são o DNA do universo. Eles contêm a coleção de tudo o que ocorreu no passado e contêm o conjunto completo de informação no que diz respeito aos potenciais no futuro. Cada grupo, cada evento, cada organização e cada local também têm o respectivo registo akáshico único.

Uma forma de compreender os registos akáshicos é vê-los como um livro que contêm a história inteira da nossa alma assim como cada aspecto de quem nós somos agora e todo o potencial do nosso futuro. Este livro metafórico é tão vasto que nunca poderia existir fisicamente. Em vez disso, está armazenado energeticamente na vibração do Amor que constitui tudo no Universo. É por essa razão que um dos procedimentos de encerramento de uma leitura de aura é abrir um livro (no plano astral, claro), folheá-lo até ao momento presente, fechá-lo novamente, escrever o nome da pessoa no mesmo e atá-lo com uma fita dourada e dar-lhe um laço.

A verdade é que uma leitura de aura ao aceder aos registos akáshicos permite-nos a liberdade de fazermos as escolhas certas. Quando conhecemos a Verdade, podemo-mo-nos libertar de todas as ilusões que criámos e que nos fizeram pensar que estávamos separados de Deus. Os registos akáshicos são uma das mais poderosas ferramentas existentes no universo para nos ajudar a lembrar da nossa unidade com cada ser no universo e para encontrar o nosso poder pessoal e colectivo para criar as realidades que desejamos.

História dos Registos Akáshicos

O conceito de registos akáshicos encontra-se referenciado em cada tradição espiritual do planeta. Na Bíblia, está descrito como o Livro da Vida. Os registos akáshicos são também referidos como a Mente Cósmica ou Mente Universal assim como o Olho de Deus. Referências aos registos akáshicos ou do eterno Livro da Vida datam da Antiguidade. Referências no Velho Testamento e para além dele dão-nos conta de que existe um armazém colectivo de conhecimento que se escreve no tecido da realidade.

A energia que contém esta informação dos registos akáshicos designa-se de Akasha – termo sânscrito que significa “substância primária”. Esta é a energia que constitui todas as coisas no Universo. É a energia do Amor. No misticismo Hindu, Akasha é tido como o princípio primordial da natureza a partir do qual os outros quatro elementos naturais do fogo, ar, água e terra são criados. Cada vibração que ocorre no Universo através dos nossos pensamentos, palavras e actos cria uma marca indelével no Akasha, deixando um registo energético de cada alma e de cada criação.

A palavra, Akasha, deriva de duas palavras antigas tibetanas ou do Norte da Índia. “Aka” significa espaço, armazém ou repositório e “Sa” significa céu, escondido ou secreto. Uma tradução simples de Akasha é “um armazém escondido”. Os registos akashicos são assim uma biblioteca escondida dos registos impressos no espaço subtil do Akasha. Crê-se que os registos akáshicos existiram desde o início do continuum espaço-tempo do planeta Terra.

Quem tem acesso aos registos akáshicos?

Toda a gente! Da mesma forma que temos acesso a diversos tipos de blibliotecas físicas tais como bibliotecas de Direito  e bibliotecas de Medicina, também existem várias bibliotecas etéricas nos registos akáshicos. Cada pessoa, animal, grupo, organização, evento e local na Terra tem um registo akáshico único. Por direito divino de nascimento, temos a capacidade de aceder aos nossos registos akáshicos pessoais bem como aos registos de um grupo do qual façamos parte.

Cada ser no planeta pode aceder às áreas dos registos akáshicos dos quais a sua alma faça parte.  Por outro lado, ninguém consegue aceder aos nossos registos akáshicos pessoais sem a nossa expressa permissão. Os registos akáshicos são protegidos por seres espirituais que são referidos como guias, os guardiões dos registos akáshicos. Estes guardiões espirituais ajudam-nos a aceder aos nossos registos akáshicos e mantêm uma forte proteção energética da informação neles contida.

Como podemos aceder aos registos akáshicos?

As pessoas acedem frequentemente aos registos akáshicos através da intuição, da oração, da meditação e flashes intuitivos. Muitos de nós experienciam estes momentos súbitos de clareza numa base diária. Para muitas pessoas, a abertura intencional à intuição fornece uma abertura mais poderosa a estes registos.

Nós podemos aprender a aceder aos registos akáshicos através de diversas técnicas. Estas técnicas podem incluir o uso de meditações, técnicas de respiração e uma oração sagrada de abertura dita em voz alta. Embora não exista uma instituição que governe este trabalho, existem muitos professores que são indicados para o ajudar.

Para além da nossa própria abertura aos nossos registos akáshicos, podemos encontrar uma clareza de muito maiores dimensões através de uma consulta ou de uma leitura de aura. A consulta ou leitura consiste em ter alguém com experiência e conhecimento no trabalho com os registos akáshicos para abrir os registos do consulente de forma a que o própria possa receber valiosa informação nos mesmos. Uma Leitura de Aura pode ser extremamente benéfica já que oferece informação específica que emerge directamente da jornada pessoal da alma do consulente permitindo a resposta a algumas das suas questões mais pertinentes sobre a sua vida.

A influência dos pensamentos sobre a aura

Cada pensamento produz uma forma. Quando esse pensamento é sobre uma pessoa, viaja até essa pessoa. Quando é um pensamento pessoal, mantém-se na vizinhança de quem o produzíu. Quando não é sobre uma pessoa ou um pensamento sobre si próprio, tal como por exemplo, um pensamento produzido por um acto mais mecânico tal como estar a conduzir e decidir virar à direita na segunda rua depois do cruzamento, o pensamento acaba por se desfazer no éter.
Cada um de nós produz pensamentos a todo o instante deixando atrás de nós, por onde vamos caminhando, uma série de formas-pensamento.

Segundo Charles Webster Leadbeater, um dos mais ilustres membros da Sociedade Teosófica,

quando um homem dirige o pensamento para um objecto concreto, uma caneta, uma casa, um livro ou uma paisagem, forma-se na parte superior de seu corpo mental uma pequena imagem do objecto, que flutua em frente ao seu rosto, ao nível dos olhos. Enquanto a pessoa mantiver fixo o pensamento sobre o objecto a imagem vai permanecer, e persiste mesmo algum tempo depois.
O tempo de duração desta imagem dependerá da intensidade e também da clareza do pensamento. Além disso, essa imagem é inteiramente real e poderá ser vista por aqueles que tenham desenvolvido suficientemente a visão de seu próprio corpo mental. Do mesmo modo como ocorre com os objectos, quando pensamos em um dos nossos semelhantes, criamos em nosso corpo mental o seu retrato miniaturizado.
Quando o nosso pensamento é puramente contemplativo e não encerra um determinado sentimento como a afeição, inveja ou a avareza, nem um determinado desejo, como por exemplo, o desejo de ver a pessoa em quem pensamos, o pensamento não possui energia suficiente para afectar sensivelmente essa pessoa.

Todas as agregações celulares emitem energia electromagnética e, por conseguinte, todos os seres vivos se revestem de uma aura (halo energético). No Homem, a aura é profundamente afectada pelos pensamentos, de natureza mais elevada ou menos elevada.

Por exemplo, quando uma pessoa está tomada de raiva, a sua aura apresenta emanações curtas e avermelhadas, quando pelo ciúme adquire tonalidade roxa. Quando os sentimentos são puros, a aura apresenta uma coloração mais azul e ampla com grande faixa de irradiação.

Como o pensamento pode criar a doença

A doença pode surgir da inconsistência entre aquilo que fazemos, dizemos e pensamos.
A doença pode ter diversas causas tais como:

  • A doença pode resultar de emoções negativas acumuladas
  • A própria pessoa pode provocá-la, de uma forma inconsciente, quando não deseja realizar uma actividade que não gosta ou para evitar realizá-la quando a pessoa não se sente preparada para a realizar
  • uma forma de fugir de uma situação futura que não deseja e que vê no seu caminho
  • uma forma de chamar a atenção das pessoas que ama
  • pode resultar de uma forma de culpar a pessoa que se acredita ser responsável pelo sofrimento experimentado (acontece de vez em quando em relações afectivas ou entre pais e filhos)
  • pode ser kármica, isto é, ter origem numa vida anterior (pessoa que nasceu com asma pode, a título de exemplo, numa vida anterior, ter sido enterrada viva por negligência dos médicos e familiares)

Qualquer que seja a causa, as forma-pensamentos criada por uma ou várias dessas situações, irão mais tarde ou mais cedo manifestar-se no nosso corpo físico (somatizar-se) ou na nossa psique.

Os Corpos Energéticos

Os corpos energéticos assim como o corpo físico, apresentam anatomia, fisiologia e patologia. O corpo energético tem a forma de um corpo e consiste em diversas energias subtis que contornam o corpo físico (chamado de soma) sendo por essa razão que apresentam, aproximadamente a aparência do corpo físico. A nossa aura é um reflexo das energias desses corpos que se projectam para fora e se apresenta como um invólucro luminoso, de forma ovóide, que se pode expandir ou contrair de acordo com as circunstâncias, emoções e pensamentos.
Da mesma forma que as micro-ondas, as ondas de rádio, a electricidade, as ondas de infra-vermelhos e as ondas de satélite não são visíveis para o olho humano embora se possam detectar com os equipamentos adequados, também os 7 corpos energéticos que se estendem para além do corpo físico não são visíveis pela maioria das pessoas excepto pessoas com uma espiritualidade mais desenvolvida ou munidas de instrumentos como a máquina Kirlian mas apenas para as primeiras camadas da aura.

Corpo físico

O corpo físico consiste na manifestação mais tangível da nossa consciência. A sua função é estar no Aqui e no Agora, estar consciente daquilo que fazemos: falar, andar, comer, etc. Os problemas que atingem o corpo físico são a doença, o envelhecimento e a morte.

Corpo etérico

O corpo etérico consiste numa camada fina invisível, com cerca de 2 cm de espessura, a rodear o corpo físico. É neste corpo que a energia é reflectida quando flui através dos meridianos e dos chakras. A consciência neste corpo expressa-se em termos de sensações físicas como dor ou prazer. Muitos dos nossos sonhos podem ser encontrados no corpo etérico. Com a ajuda de mantras e símbolos podemos influenciar o funcionamento desta parte da aura. Este corpo está ligado ao chakra da raíz.

Corpo emocional

O corpo emocional tem uma forma oval e contém os 2 anteriores (corpo físico e corpo etérico). Este corpo reflecte os sentimentos e as emoções que sentimos. Emoções e sentimentos como alegria, esperança, amor, raiva, pena, tristeza, ódio, amargura, surpresa entre outros podem ser todos encontrados aqui. O corpo emocional está também ligado ao nosso passado o que pode causar problemas. Este corpo contém desejos do passado e esses desejos podem causar tensões. É importante aprender a lidar com as diferentes emoções ao longo do dia. Caso contrário, existe o risco de as mesmas serem suprimidas e armazenadas no corpo emocional o que poderá originar mais tarde diversos bloqueios e distúrbios levando a problemas médicos. Este corpo encontra-se ligado ao chakra das emoções.

Corpo mental

Todas as funções mentais, cognitivas, de memória, associativas, e que se concentram no chamado Centro Intelectual nascem do Corpo Mental. Para os que possuem Corpo Mental LUNAR, a sua cor é amarela e suas células são filamentosas (lembrando as células musculares). E para os que já fabricaram um Corpo Mental SOLAR, sua cor é como o ouro de mil sóis brilhantes.

Quando a Mente está sob forte carga (excesso de estudo, pensamento, raciocínio etc.) ou sofre um choque, proveniente de notícia terrível e forte, de acidente, de envenenamento, de magia negra, de radiação telúrica ou cósmica negativa, então esta tem as suas células filamentosas destruídas, em maior ou menor grau, criando assim “buracos” onde penetram energias deletérias ou larvas mentais, ocasionando as chamadas “doenças mentais”.

Muitas pessoas padecem de doenças mentais e a medicina comum, por mais eficiente e avançada que esteja, não consegue ajudar eficazmente. Alguns destes problemas poderão ser enxaqueca, zumbido nos ouvidos, labirintite, esquizofrenia, psicoses em diversos graus, falta de memória, danos cerebrais causados por acidentes, epilepsia etc.

O corpo mental tem como função adquirir conhecimento. O corpo mental reflecte a nossa mente lógica, a nossa parte racional, intelectual e uma forma activa de pensar.

Nós moldamos a nossa realidade através da nossa mente. A nossa mente é o construtor da nossa realidade. Reflecte a nossa capacidade de desenvolver a nossa aprendizagem e a nossa personalidade. A saúde mental e as doenças mentais reflectem-se a este nível. Conecta-se ao chakra do Plexo Solar.

A Aura

A Física Quântica descreve o universo como sendo composto de energia, em que a toda a matéria é constituída de energia.

A aura pode ser vista como um campo energético a rodear o corpo físico, actuando ao nível espiritual e psicológico através de estruturas chamadas chakras. Este campo energético que rodeio o corpo físico, designado de aura, é visível para pessoas com a visão psíquica activa (não é o caso da grande maioria dos seres humanos actualmente).

Os 7 chakras têm a sua origem no corpo físico mas também existem em todas as camadas da aura. A velocidade e o nível de vibração energético aumenta de camada para camada. A consciência humana manifesta-se nos 7 níveis correspondentes às 7 camadas da aura.

A aura actua como um verdadeiro íman, atraindo as diversas energias que estão num determinado espaço daí que a limpeza da aura seja muito importante.

De que forma o Reiki influencia a aura?

Antes de uma sintonização de Reiki, a aura de uma pessoa normalmente estende-se alguns centímetros para fora do corpo físico. A sintonização ou iniciação fortalece a aura e confere-lhe um tamanho permanente de cerca de 2 a 3 metros. Ao mesmo tempo a consciência, a força interna e a capacidade de intuitivamente ver o que é necessário mudar de forma a atingir o equilíbrio máximo em termos de saúde é aumentado. Através de uma sintonização de Reiki e do fortalecimento da aura, a pessoa fica com uma ferramenta que lhe permite ganhar o controlo sobre a sua sua vida e o seu desenvolvimento.